Cena cultural punk de Caxias do Sul – RS agora terá memória registrada em vídeo e livro

agosto 20, 2021, 12:28 pm

compartilhe
compartilhe

Nunca foi sobre flores, mas respeitamos as flores. / É sobre um MOVIMENTO mundial CONTRACULTURAL, que teve uma cena LOCAL forte, que resiste até hoje. / Já está rolando e será muito PUNK.

A galera do Projeto “oqimporta” está muito punk! Desde março deste ano, Carlos Carniel, Fabiana Cavalcanti,  Patricia Vivas e Rochele da Veiga realizam uma pesquisa sobre a cena underground PUNK de Caxias do Sul, dos anos de 1980, 1990 e 2000.

Patricia Vivas, Carlos Carniel e Rochele da Veiga

A galera do Projeto “oqimporta” está muito punk! Desde março deste ano, Carlos Carniel, Fabiana Cavalcanti,  Patricia Vivas e Rochele da Veiga realizam uma pesquisa sobre a cena underground PUNK de Caxias do Sul, dos anos de 1980, 1990 e 2000.

A ideia dos amigos é resgatar e registrar essas memórias por meio de vídeo-série-documental e livros, considerando que existe um rico acervo de materiais culturais da época, alguns inéditos, que correm o risco de se perder, esquecidos no tempo.

De acordo com uma das integrantes do “oqimporta”, a jornalista Rochele da Veiga, existem poucos registros sobre esse movimento cultural tão expressivo ocorrido na cidade.

– Como todos nós em algum momento participamos dessa cena sub, em uma conversa informal de quarentena, percebemos que seria importante documentar essa história, porque ainda pode ser contada por quem participou ativamente desse movimento contracultural PUNK, que ainda resiste por aqui.

Ela acrescenta que o punk foi um fenômeno mundial tão importante que teve seus conceitos apropriados pelo capitalismo, que viu uma oportunidade na estética agressiva e gerou “a tendência punk”, direcionada aos jovens e até adultos, além de incorporar a sua máxima que é o do it yourself (“faça você mesmo”), conceito bastante utilizado hoje, por coaches, por exemplo, enfatiza Rochele.

 Ainda em fase de pesquisa e entrevistas, o pessoal do Projeto “oqimporta” pretende contatar com o máximo de pessoas que queiram contar suas memórias, colaborar com materiais culturais e outros.

Além do documentário e livros, ainda sem datas definidas de lançamento, diversas ações serão realizadas a fim de enriquecer a pesquisa.

Quem tiver interesse em colaborar com o projeto, pode entrar em contato pelas redes sociais (Facebook Instagram) oqimporta, ou pelo e-mail oqimportacx@gmail.com

https://www.instagram.com/oqimportacx/

https://www.facebook.com/oqimportacx

https://www.youtube.com/channel/UCjOa9UOAn3BbL9KYZPv_UAw

Comentários

Deixe um comentário